Como ensino Língua Portuguesa para meus filhos

Nosso principal objetivo para 2015 é investir na leitura. Como nossas crianças estão adiantadas na alfabetização e lendo muito bem para as respectivas idades, consideramos que nossa meta nessa etapa é a fluência em leitura. Todos os dias todos lêem. Lêem em silêncio, lêem umas para as outras, escutam diversos tipos de leitura. Um bom trabalho de enriquecimento do imaginário.
Iniciamos esse ano – inspirados nos estudos que fizemos de pedagogia católica para aplicação das famílias e na palestra do professor Rafael Falcon As Crianças e o Trivium – um trabalho de linguagem que faz uso de textos clássicos. Reservamos um tempo expressivo para esse tipo de atividade. A Leitura, a compreensão de texto, a análise semântica e lexical se dão em paralelo, despertando a inteligência para o conteúdo valoroso que essas histórias trazem.
Recitamos poesias e as decoramos, fazemos cópias de textos para treinar a escrita caligráfica e também para nos demorarmos na observação de como os elementos da frase se comunicam e se ordenam.
Essa abordagem mais profunda e lenta é a preferida das crianças e é a que nos dá mais frutos.
Adotamos também dois materiais didáticos distintos para cada criança. Para Alice, que está precocemente alfabetizada, estamos trabalhando o livro “Casinha feliz” e o “Alfabetização Fônica”.
As abordagens do conteúdo são diferentes e complementares.
Alternando entre um livro e outro o mesmo conteúdo é apresentado de maneiras diferentes e é exercitado o suficiente para a assimilação.
Enquanto o primeiro livro traz histórias para apresentar os fonemas e músicas para criar um ambiente atrativo, o segundo trabalha de modo mais detalhado e dá uma rotina de atividades que permitem que a criança infira alguns padrões da língua.
Já para a Maria, uma criança em uma etapa mais adiantada da alfabetização, estamos trabalhando o livro “Descobrindo a Gramática” e o livro “Caminho Suave”.
O primeiro tem uma linguagem mais aparentada com a das revistinhas e das atividades de entretenimento, e trabalha o conteúdo gramatical.
O segundo apresenta atividades de compreensão de texto, vocabulário e ditados que propiciam o desenvolvimento de habilidades de importância vital.
Somando esses recursos temos teatrinhos, histórias lúdicas para memorização das nuances da língua, entendimento de texto, músicas, produção de texto, estudo de vocabulário, estudo de ortografia.

 

Como ensino História, Geografia, Literatura e Arte de modo interdisciplinar para meus filhos em casa

Nosso planejamento para 2015 é dar os primeiros passos sistemáticos no estudo de História Geral. Nossos estudos de Literatura, História, Arte e Geografia são concomitantes e interdisciplinares.
Inspirada no livro The Well Trained Mind de Susan Wise Bauer  decidi não abordar esse assunto como o fazem nas escolas. O modo como as humanidades são apresentadas nos livros didáticos das séries iniciais, partindo do mundinho infantil para o universo da cultura, é um tanto problemático, pois estimula uma concepção de mundo na qual a criança é de certa forma o centro do universo.
Por esse motivo, optei por uma abordagem clássica nos moldes da educação inspirada no Trivium. Ou seja, partindo do universo que nos cerca e do legado cultural que recebemos vamos caminhar lentamente para entender a nossa realidade. Desta forma, vamos mergulhar no passado e começaremos pelo Mundo Antigo.
Como não encontramos materiais verdadeiramente adequados para essa proposta em nossa língua, trabalharemos com enciclopédias e muitos livros paradidáticos. O currículo que seguiremos como linha mestra estará nas leituras em língua inglesa do material Story of the Word.
Além disso nosso objetivo é criar condições para uma compreensão profunda sem desrespeitar os limites da idade e do entendimento de mundo que hoje elas têm. Ou seja, trabalharemos fornecendo imagens e informações para que se possa compor uma ideia de como era a paisagem, a arquitetura, a arte. Isso será somado à leitura de textos clássicos e de livros ambientados no período para que se possa perceber como aquelas pessoas entendiam e sentiam o mundo.
Nossa técnica se compõe de leituras autônomas e leituras em grupo. Depois as crianças recontam e desenham o que aprenderam. Elas trabalham com mapas que representam os espaços nos quais os fatos sucederam, colorem imagens que apresentam o cenário visual que aprenderam, fazem projetos de artes, e sempre que possível assistem a filmes que retratam o momento histórico e a documentários.
Fizeram no ano passado um trabalho referente à pré-história e a civilização egípcia. Os egípcios foram de tal forma atrativos que as crianças pediram para insistirmos no tópico. Munidas de mais materiais continuamos nosso projeto e logo seguiremos para a Antiguidade Clássica.
Construindo pirâmides
Enciclopédias
Geografia do Mundo Antigo, Arte e literatura
Material didático, livros de colorir e de projetos artísticos

 

Como ensino Ciências para meus filhos em casa

Em nossa primeira etapa de estudos de ciências estudaremos Botânica. Para isso, vamos usar o livro “Reino Verde” da coleção Mundo da Criança.
Nosso intuito é trabalhar respeitando as curiosidades das crianças, mas também conduzindo a atenção para produzir o interesse pelos assuntos pertinentes. Semana passada, enquanto escolhíamos feijão, minha filha perguntou sobre a origem do feijão na natureza. Resolvemos plantar o feijão e acompanhar o resultado.
Optamos por trazer assuntos associados aos fenômenos e às coisas que podemos observar na natureza e com isso orientar a atenção. Não introduziremos teorias ou conceitos muito abstratos que não façam referência a nada que tenha realidade no mundo da criança. Idealmente pretendemos auxiliar a contemplação das coisas.
As plantas dão margem para muitas atividades práticas e fascinantes. Nessa primeira semana focamos nossa atenção nas sementes: tivemos o prazer de ver os feijões se proliferarem e analisamos diversos tipos de sementes. Pesquisamos e aprendemos o que elas são e suas partes.
Na sequência, fizemos uma atividade interdisciplinar de Artes com os vegetais que utilizamos para desenvolver o estudo de botânica. Empregamos os frutos como ferramentas para compor pinturas com tinta guache.